Blog

Postado em em 27 de março de 2024

O que não fazer no Dashboard – Dashboards Horríveis

Aprenda o que não fazer no dashboard! Vou te mostrar o passo a passo de como construir um dashboard horrível.

Caso prefira esse conteúdo no formato de vídeo-aula, assista ao vídeo abaixo ou acesse o nosso canal do YouTube!

Para receber por e-mail o(s) arquivo(s) utilizados na aula, preencha:

O que não fazer no Dashboard – Dashboards Horríveis

Na aula de hoje, quero te mostrar um passo a passo para construir um dashboard horrível! Sim, é isso mesmo que você leu. A ideia é que você entenda o que não fazer no dashboard.

Muitas pessoas acabam focando apenas no que é certo de ser feito em um Dashboard e não percebem o que podem estar fazendo de errado.

Por isso, nesta aula, vou abordar alguns pontos que podem deixar seu dashboard horrível e explicar o motivo disso. Além disso, vou apresentar uma opção melhor para cada situação.

Vou mostrar como ajustar a saturação do dashboard, o plano de fundo, o alinhamento e espaçamento, a escolha de gráficos, a escala dos gráficos e a complexidade do dashboard.

Ficou interessado em aprender o que não fazer no dashboard? Então faça o download do material disponível e venha comigo!

Saturação e Visibilidade do Dashboard

O primeiro erro que quero abordar aqui diz respeito à saturação e visibilidade do dashboard.

Saturação e Visibilidade Ruins do Dashboard

Esse é um exemplo mais exagerado, mas o que quero destacar é como a escolha inadequada de um plano de fundo pode sobrecarregar seu dashboard e dificultar a visualização dos dados.

A finalidade do plano de fundo nunca deve ser chamar atenção para si mesmo. O foco principal deve estar nos gráficos e nas informações que você está apresentando.

O ideal é optar por planos de fundo mais minimalistas, contendo apenas cores e detalhes que ajudem a destacar os gráficos, como caixas personalizadas para delimitar onde cada gráfico será posicionado.

Saturação e Visibilidade Corretas do Dashboard

Observe que o plano de fundo não precisa ser monocromático; ele pode ter um gradiente de cores ou alguns detalhes, mas nada que desvie o foco e a atenção dos dados que precisam ser transmitidos.

Alinhamento e Espaçamento

Um segundo erro muito comum está relacionado ao alinhamento e espaçamento adequados entre os elementos do dashboard.

Alinhamento e espaçamento incorretos

Esse é um nível de detalhe um pouco maior que precisamos aprender a observar e evitar que aconteça.

No exemplo acima, esses problemas são mais evidentes, mas às vezes esses erros podem ser mais sutis, então é importante desenvolvermos um olhar atento para organizar os elementos da melhor forma possível.

Alinhamento e espaçamento corretos

Repare como um bom alinhamento e espaçamento tornam o dashboard muito mais profissional.

Escolha Inadequada de Gráficos

Um dos erros mais comuns que encontramos em relatórios está relacionado à escolha do gráfico. Muitas pessoas têm dificuldade em selecionar o gráfico certo para cada situação e acabam utilizando gráficos que tornam a visualização dos dados mais difícil.

O gráfico de pizza, por exemplo, é um dos campeões em ser mal utilizado nos dashboards.

Escolha Inadequada de Gráficos

Veja como a visualização das informações se torna confusa e complicada quando há várias fatias para serem exibidas.

Apesar disso, o gráfico de pizza pode ser adequado em alguns casos, geralmente quando há poucas fatias para representar informações proporcionais ao total. Até cerca de 4 ou 5 fatias, pode ser aceitável utilizá-lo.

Para mostrar quantidades ao longo do tempo, é mais indicado utilizar gráficos horizontais como colunas, linhas ou áreas. Já para realizar análises comparativas ou rankings, o ideal são os gráficos de barras, ou mesmo tabelas para uma visualização mais clara.

Nesta aula aqui, eu te ensino a escolher o gráfico ideal para cada situação. Portanto, se você estiver interessado em aprender, não deixe de conferir!

Organização Visual em Dashboards – Hierarquia Visual

Vamos abordar novamente a organização dos gráficos no dashboard, mas desta vez não se trata apenas do espaçamento ou alinhamento, mas sim da hierarquia visual.

A organização hierárquica das informações em um dashboard é essencial, pois é através dela que você pode transmitir os dados de forma direta e intuitiva, facilitando o acompanhamento das análises feitas.

Hierarquia Visual Incorreta

Experimente ler as informações deste dashboard acima e perceba como a leitura se torna mais fragmentada, exigindo que você busque a conexão entre as informações.

O ideal ao organizar os gráficos em um dashboard é seguir uma leitura em Z (assim como a leitura de um livro), começando com informações globais no canto superior esquerdo e avançando para detalhes específicos.

Hierarquia Visual correta

Observe como uma hierarquia visual torna a leitura muito mais fluida.

Escolha de Cores no Dashboard

Muitas pessoas, ao construir seus dashboards, acabam não se importando o suficiente ou se empolgando demais com a escolha de cores dos gráficos e informações presentes neles. Isso resulta em relatórios como este:

Cores incorretas

Isso dá ao relatório um aspecto amador. A escolha adequada de cores é essencial, tanto para garantir a estética quanto a legibilidade dos dados apresentados.

É fundamental selecionar cores que combinem entre si, que tenham harmonia e que sejam contextualmente relevantes para o dashboard. Dessa forma, você terá uma apresentação visualmente atrativa e coerente.

Cores adequadas

Repare como a escolha estratégica das cores deixa o dashboard com um aspecto muito mais profissional.

Escala dos Gráficos no Dashboard

O sexto erro que gostaria de abordar é a escala dos gráficos no dashboard e como isso pode causar distorções visuais, prejudicando a visualização e interpretação adequada das informações.

Escala dos Gráficos Inadequadas

Esse gráfico, apresenta-se o faturamento ao longo dos anos, onde a empresa teve uma média de faturamento de 50 milhões em 2018, 70 milhões em 2019 e 95 milhões em 2020.

Observe que, devido à escala em que o gráfico foi construído, parece que houve um crescimento gigante entre os anos, como se tivesse mais do que dobrado, quando na verdade foi próximo de 20 milhões entre um ano e outro.

Isso ocorre porque o eixo do gráfico está iniciando a partir do valor de 50 milhões. Se ajustarmos esse eixo para zero, veremos como o gráfico terá uma representação muito mais precisa do crescimento dessa empresa.

Esacla precisa do gráfico

São os mesmos dados, mas agora temos um gráfico mais suave e fiel à realidade dos dados apresentados.

Complexidade nos Dashboards

O último erro que você pode cometer ao criar um dashboard horrível está relacionado à complexidade excessiva nos gráficos apresentados.

Complexidade nos Dashboards

Olhe para este relatório e veja como é confuso e pouco legível, dificultando muito a compreensão e análise dos dados apresentados.

Lembre-se de que o principal objetivo de um dashboard é permitir que as pessoas olhem para ele e entendam o que está acontecendo, além de lerem adequadamente as informações e dados apresentados.

Priorize sempre a clareza e a concisão na apresentação de informações, com gráficos mais simples e claros que não sobrecarreguem com informações desnecessárias.

Conclusão – O que não fazer no Dashboard – Dashboards Horríveis

Nesta aula, explorei o que não fazer no dashboard no Power BI. Apresentei os principais erros que podem resultar na construção de dashboards horríveis.

Compreender como escolher a melhor saturação, plano de fundo, alinhamento, escolha de gráficos, escala e complexidade adequada são pontos essenciais para criar um relatório claro, direto e intuitivo.

Para ajudá-lo a montar dashboards cada vez melhores, deixo aqui um minicurso gratuito sobre storytelling, com um passo a passo de boas práticas na hora de construir o seu dashboard.

Hashtag Treinamentos

Para acessar outras publicações de Power BI, clique aqui!


Quer aprender mais sobre Power BI com um minicurso básico gratuito?

Quer sair do zero no Power BI e virar uma referência na sua empresa? Inscreva-se agora mesmo no Power BI Impressionador