Blog

Postado em em 21 de setembro de 2022

Query em SQL: o que é, como usar e principais comandos

queries sql

Queries no SQL são formas de consultar dados em um banco de dados para manipulação, inserção, atualização, exclusão e outras ações. Agregam importantes comandos que ajudam a usar devidamente uma coleção de dados em uma aplicação de software.

As queries são feitas com algumas palavras-chave básicas na estrutura da linguagem usada (que pode ser a SQL ou outras). Assim, qualquer pessoa pode fazer essa consulta sem grandes problemas. 

Para saber mais sobre o assunto e conseguir agilizar suas ações nos bancos de dados, acompanhe.

O que é uma query em SQL?

Uma query é uma consulta em SQL. Trata-se de uma ação para buscar dados e trazê-los para a memória, a fim de executar procedimentos com eles. A query é uma base e um primeiro passo antes de qualquer outra operação em bancos de dados.

Pode ser vista também como uma filtragem, como a definição de critérios para exibir apenas as informações relevantes em um dado momento. 

O termo também pode ser traduzido como solicitação ou requisição. Pois é um pedido feito ao banco, com a linguagem devida, para que os dados certos sejam retornados.

Considerando que bancos de dados são estruturas montadas para alterações e recuperações de dados, uma query estabelece um processo fundamental. Com ela, é viável, por exemplo, filtrar dados para ajudar na tomada de decisão ou atualizar dados incorretos.

A partir disso, as informações podem ser passadas para um dashboard para serem compartilhadas com as pessoas da equipe. Ou ainda podem ser preparadas para modelagem com um algoritmo de inteligência. 

As queries no SQL estabelecem um padrão de como fazer essa consulta, de acordo com a linguagem. Assim, o objetivo é agilizar o processo e democratizar essas operações. 

Como veremos, a partir de uma sintaxe simples, qualquer pessoa é capaz de recuperar determinados dados em um banco para usar como quiser, com fins diversos. A finalidade deve ser conhecida e previamente planejada, no entanto, para evitar erros. 

Como montar uma consulta em SQL?

Um banco de dados relacional, no qual essas requisições buscam dados, é baseado em tabelas, com linhas e colunas. Cada tabela diz respeito a um domínio, com informações pertinentes dentro daquele grupo.

Uma tabela com dados de vendas vai exibir todas as informações referentes a vendas, como produtos, preços, loja, etc. 

Uma query no SQL parte do entendimento disso. Para montar uma consulta, você deve saber quais são as tabelas e as colunas específicas para filtrar as informações necessárias.

Dentro da nossa hipotética tabela de vendas, você pode pegar a coluna “Preço FROM Vendas”. Isso vai recuperar as informações desta coluna na tabela específica.

Operações envolvendo tabelas podem ser realizadas, como a junção delas. A depender da finalidade, é possível explorar bastante os comandos do SQL, sendo que tudo começa com uma simples query. 

Principais comandos em uma query

Vamos agora conhecer os principais comandos de uma query sql.

1. SELECT

Um dos mais importantes, sem dúvidas, é o SELECT. Ele basicamente busca os dados para uma manipulação posterior, que pode ser atualização, remoção ou outras operações. É um ponto de partida para uma query.

A sintaxe principal é: SELECT COLUNA FROM TABELA. Nesse caso, é possível especificar o que você quer selecionar, sendo que o usuário consegue várias colunas por vez e até mesmo selecionar todos os dados daquele conjunto com o asterisco.

É viável também buscar dados parecidos com um termo que você define, quase como uma ferramenta procurar comum (o famoso CTRL + F). 

queries sql

2. WHERE 

O WHERE é um complemento para o SELECT em queries sql para estabelecer exatamente onde estão os dados que você pretende usar. 

Assim, ajuda também na filtragem desses dados, visto que permite combinações diversas para selecionar o que você quer em uma miríade de informações.

É muito útil quando o usuário ou programador precisa de apenas um dado, que está contido em uma unidade do conjunto. Então, é só definir o WHERE corretamente para obter essa resposta.

Esse comando é tão crucial que ele é usado como um complemento do comando UPDATE também. Caso o WHERE não seja declarado, o comando será aplicado erroneamente em todos os registros, causando uma série de problemas. 

3. GROUP BY

Trata-se de um comando para a ordenação do conjunto de dados selecionado. É possível fazer essa organização de acordo com algumas regras, o que o usuário esclarece com os parâmetros.

Você pode, por exemplo, ordenar um conjunto de dados pela ordem de uma determinada coluna. Assim, essa função é bem útil para exibir os dados de uma forma interessante, de acordo com seu objetivo.

Um exemplo: ordenar as compras pelo preço, indo do menor para o maior.

4. PIVOT

O PIVOT executa uma importante ação que espelha uma transposição de matrizes: ou seja, troca linhas em colunas. É viável buscar linhas específicas que você queira transformar e destacar como colunas.

Também é um termo mais voltado para facilitar a visualização e a exibição dos dados. Um exemplo de uso seria transformar dados das linhas que se encaixam em um número limitado de opções (como tamanho de roupas) em colunas para facilitar a apresentação. 

5. ORDER BY

Outro comando de ordenação. Ele permite organizar ainda mais do que o GROUP BY, sendo que funciona com o mesmo princípio lógico: ordenar de acordo com critérios que o programador define. 

6. LIMIT

Essa expressão é bem interessante. Permite limitar o número de itens que você retorna em uma seção. Se você estabelece “4” como parâmetro do limite, então verá apenas quatro linhas na sua resposta de uma seleção.

É uma forma de delimitar e especificar o quanto você deseja ver. Ou seja, muito importante também para organizar informações para exibição e apresentação amigável. 

Por isso, é crucial para manipulação de dados em bancos maiores. 

7. OFFSET

Já o OFFSET é muito similar ao anterior, só que com uma diferença: determina o número de linhas para pular na busca de informações. Se for “2” o valor, a seleção trará dados somente a partir da linha 2. 

Ao combinar com o LIMIT, o usuário é capaz de determinar melhor qual porção da tabela deseja ver, de qual linha até qual linha em específico.

Hashtag Treinamentos

Para acessar outras publicações de SQL, clique aqui!


Quer aprender mais sobre SQL com um minicurso básico gratuito?

Quer sair do zero na linguagem de programação que mais cresce no mundo? Inscreva-se gratuitamente no Intensivão de Python!